Compartilhe essa Notícia:


Na tarde desta terça-feira (2), o advogado criminalista, Dr. Bento Vieira, participou de programas de TVs de Bacabal (Difusora e TV Cidade). Ele analisou o caso em que um empresário foi retirado de sua casa e morto, e fez duras críticas contra os policiais que supostamente agiram no homicídio, questionando se os agentes atuaram como "milícia" ou como "agentes do Estado". 

O advogado iniciou sua fala questionando a atuação do "Grupo Velado" da PM de Bacabal. "Foi algo previsível esse ocorrido. Há muito tempo essa história do Serviço Velado circula aqui em Bacabal, gerando ocorrências que só vejo nessa cidade quando se fala em nossa região. Pela lei, quem tem que investigar e apurar os crimes é a Polícia Civil, mas aqui em Bacabal, é frequente a PM cometer delitos e os delegados, muitas vezes, ficam pequenos diante disso", disse.

Dr. Bento afirmou também que os grupos velados se assemelham mais ao trabalho de "milicianos" do que de agentes da lei, e que membros da polícia de Bacabal podem estar envolvidos. "O caso do Tnt. Pinho pegar preso, bater, levar para fora e fazer sufocamento com saco é algo antigo, já denunciei isso. Só não entendo por que os órgãos não relatam. Eu costumava dizer que um dia a casa ia cair. Eles não tem nenhuma justificativa para dizer que o homem assassinado reagiu. Os familiares me relataram coisas gravíssimas, inclusive que o dinheiro, celular, cordão de ouro e outros itens sumiram. Fizeram um exagero!", continuou, fazendo duras críticas a atuação de alguns policiais militares de Bacabal, inclusive contra o Tenente Pinho, que foi baleado durante uma operação na última segunda-feira (1) em São Luís Gonzaga.

"A pergunta é, foram "agentes do estado" ou "milicianos" que executaram esse cidadão evangélico, que não tinha dívida com ninguém? Se quisessem fazer a coisa de maneira legal, era para trazê-lo na presença de um delegado. Ninguém sabe que papel é esse de serviço velado, mas agora eles estão investigando, apurando e sentenciando com pena de morte.", disse.

Ainda durante as entrevistas, Dr. Bento afirmou que o Secretário de Segurança, Jeferson Portela, vai ter que justificar em quais circunstâncias o empresário morreu, uma vez que a vítima não tinha como reagir a nenhuma atitude da polícia. 

Dr. Bento é um dos advogados da família da vítima e deve atuar como assistente de acusação contra os autores do crime, em parceria com Dr. Lucas.

Confira o audio do Dr. Bento Vieira
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA