Compartilhe essa Notícia:

Pazuello e Bolsonaro na cerimônia de posse do ministro da Saúde,  general Eduardo Pazuello. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O governo do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) está preparando um revogaço de 100 portarias sobre saúde mental, o que atingiria diversos programas e serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e ocasionaria um desmonte nas políticas de saúde mental da rede pública do país. As informações foram divulgadas no último domingo (6) pelo jornalista Guilherme Amado, da Revista Época.

Segundo fontes consultadas pelo jornalista, as portarias foram editadas entre 1991 a 2014. Dentre os programas que correm risco com o revogação estão o programa anual de reestruturação da assistência psiquiátrica hospitalar no SUS; as equipes de Consultório na Rua; o Serviço Residencial Terapêutico; e a Comissão de Acompanhamento do Programa De Volta para Casa. Ainda, a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas também seria atingida pelo desmonte.

O jornalista da Época também relata que autoridades de Saúde estaduais estão “receosas com a possibilidade de um desmonte de políticas públicas de saúde mental durante uma crise histórica na saúde brasileira” e com a possibilidade de que o revogaço seja executado nas próximas semanas, uma vez que STF e o Congresso Nacional estão em recesso, dificultando eventuais reações e questionamentos.

Fonte - Sul 21

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA