Compartilhe essa Notícia:

O senador Roberto Rocha (PSDB) comentou nas redes sociais o pedido do governador Flávio Dino (PCdoB), e de outros 16 governadores, para que seja prorrogado por mais seis meses o reconhecimento do estado de calamidade pública em virtude da pandemia de Covid-19.

Na prática, com o reconhecimento do estado de calamidade, os governadores podem aumentar o gasto público e descumprir a meta fiscal prevista para o ano.

Para Rocha, isso só mostra como o chefe do Executivo maranhense apenas joga para a plateia quando critica o governo Jair Bolsonaro. E questiona: “o que seria da população do Maranhão se não fosse o aparato criado pelo Governo Federal para enfrentar a pandemia da COVID-19?”.

Veja o que disse o tucano.

Governadores de 17 estados enviaram um ofício nesta sexta-feira (18) ao presidente Jair Bolsonaro no qual pediram que o governo federal prorrogue por seis meses o reconhecimento do estado de calamidade pública.

Dentre eles está o governador do Maranhão.

Flávio Dino critica, critica, critica, mas o que seria da população do Maranhão se não fosse o aparato criado pelo Governo Federal para enfrentar a pandemia da COVID-19? Ninguém quer prorrogar o que é ruim.


Por Gilberto Leda (São Luís)

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA