Compartilhe essa Notícia:



A vereadora de Bernardo do Mearim, Léia Pereira, usou a tribuna da Câmara Municipal, na última sessão, dia 21, para hipotecar apoio total a um colega de grupo político que, naquele momento, encontrava-se preso no presídio de Pedreiras pelo crime previsto na Lei Maria da Penha.

Gerônimo foi preso por descumprir medidas protetivas e agredir a companheira,  Rayane Alves.  Rayane Alves contratou advogado para ingressar na justiça medida protetiva para se proteger de Gerônimos. Nos autos, ela afirma que foi agredida e ameaçada pelo companheiro.

Para a vereadora, o que importa é que Gerônimo é um homem trabalhador e paga as contas em dia.  

Ouça o discurso da vereadora  Léia Pereira e tire suas conclusões.


Gerônimo foi preso no começo da noite da última quarta-feira (19), pela Polícia Civil em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela Justiça de Igarapé Grande; e na sessão na Câmara Municipal, a vereadora Léia Pereira assustou a população de Bernardo do Mearim ao se posicionar do lado do agressor e não da vítima.

Vereadora classificou a prisão como perseguição política, embora a justiça fora provocada pela vítima, Rayane Alves; o pedido de prisão foi da Promotoria de Justiça. Vereadora Léia Pereira não emitiu nenhuma declaração em apoio a Rayane ou as mulheres que são vítimas de violências doméstica e que em muitos casos terminam em feminicídio (assassinato).

Léia Pereira que, é pré-candidata prefeita pelo grupo de oposição, em que pese o lado do político, ela como mulher e parlamentar, de modo algum poderia se posicionar a favor de um indivíduo preso acusado de agredir a esposa. Se ela não tem uma palavra favorável para todas as mulheres vítimas de agressões no município de Bernardo do Mearim ou outras localidades, deveria então se calar. Jamais defender o agressor preso a pedido da justiça e buscar subterfúgio para o crime hediondo. “Ele foi preso por perseguição política.” Lamentável essa situação!

Mais

A vítima Rayane Alves, infelizmente, como acontece em boa parte dos casos, quando o marido foi preso pela Lei Maria da Penha, se apressou em procurar a justiça para desistir da ação. Mulheres  agredidas que denúncias os maridos costumam desistir da ação para impedir que os mesmos continuem detidos. Segundo os estudos de casos, as vítimas de violência domésticas acreditam que o companheiro mude o comportamento e cesse  as agressões. Também é levado em conta a situação financeira das vítimas. Um número expressivo de esposas que sofrem violências não tem como se sustentar e optam por retirar a queixa contra o agressor. Essa história costuma terminar em tragédias. É assustador os casos de feminicidio no Maranhão.

Mais 


Gerônimo de Bernardo do Mearim foi preso por descumprir medidas protetivas

Notinhas sobre a prisão de Gerônimo



⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA