Compartilhe essa Notícia:

 Bolsonaro ameaça ir à justiça contra Globo: “Uma acusação de genocida para  cima de mim no

Após o Jornal Nacional exibir um editorial criticando a postura de Jair Bolsonaro (sem partido) em relação à COVID-19 e as 100 mil mortes no país, o presidente ameaçou procurar a Justiça para pedir esclarecimento à Globo.


Em sua live semanal, sem mencionar o jornal nominalmente, Bolsonaro disse que o noticioso apresentado por William Bonner e Renata Vasconcellos o acusou de ser genocida.


Ao falar sobre os casos do novo coronavírus no país, o presidente disse que há poucos dias um “órgão de imprensa grande” o acusou de ser responsável por 100 mil mortes, o que, de acordo com ele “não tem cabimento”. “Desde antes do carnaval nós estamos tomando medidas concretas”, defendeu.


“A história vai mostrar onde se errou, ou não, e se poderiam ter se evitado mortes. Seria impossível evitar todas as mortes, mas mortes poderiam ser evitadas”, alegou Bolsonaro, que voltou a mostrar uma caixa de hidroxicloroquina.


Na sequência, o presidente falou sobre as medidas que pretende tomar contra a Globo. “Vamos tentar a responsabilização e o esclarecimento da verdade no tocante a essa matéria, porque não dá para a gente não se defender disso. Uma acusação de genocida para cima de mim no horário nobre, ou que eu sou o responsável e que deveria cumprir a Constituição”, disse ele.


Jornal Nacional cobra atitudes de Bolsonaro


Apesar de não chamar Bolsonaro de genocida, Bonner e Renata foram ríspidos nas críticas ao presidente. Os âncoras dispensaram o tradicional “Boa noite” e foram direto ao assunto.


“Primeiro o presidente menosprezou a COVID. Chamou de gripezinha. Depois, quando um repórter disse que não era coveiro. Disse duas vezes ‘não sou coveiro’. Quando os óbitos chegaram a 5 mil, a resposta dele a um repórter foi um ‘e daí?’”, relembrou o jornalista.


“Agora, o presidente repete que a pandemia é uma chuva e que todos vão se molhar. Ou que a morte é o destino de todos nós e que temos de enfrentar a doença, como se fosse uma questão de coragem. Como se nada pudesse ter sido feito”, continuou Bonner.


“É necessário relembrar a Constituição, porque isso nos levanta uma pergunta importantíssima. Nós já mostramos o que diz o artigo 196: ‘É dever das autoridades que governam o país implementar políticas que visem reduzir o risco de doenças”, disse Renata.


“E a pergunta que se impõem é: O presidente da República cumpriu esse dever? Entre os governadores e prefeitos, quem cumpriu? Quem não cumpriu? Mais cedo ou mais tarde, o Brasil vai precisar de respostas para essas perguntas. É assim nas democracias e nas repúblicas, em que todos temos direitos e deveres e onde ninguém está acima da lei”, acrescentou a jornalista.


FONTE: BH Fama

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA